O IMAGINÁRIO DE UMA NAÇÃO NO CINEMA NORTE-AMERICANO

Autores

  • ANTONIO DA SILVA CAMARA UFBA
  • Gabriela Protasio Mota UFBA
  • Caique Geovane Oliveira de Carvalho UFBA

DOI:

https://doi.org/10.63052/revistaolhares.v1i13.117

Palavras-chave:

Sociologia da arte, cinema americano, imaginário

Resumo

Pretendemos, a partir da hipótese de que o cinema dos EUA de origem construiu um forte imaginário da nação, analisar duas como parte da pesquisa, a principal obra de Griffith, considerada como clássico do cinema, que versa sobre a origem da nação nas disputas entre o norte e o sul. O nascimento de uma nação (1915) promoveu uma verdadeira revolução no cinema americano, adotando do ponto de vista formal planos alternativos e montagens paralelas. Esse filme focando duas famílias ao longo da guerra de secessão com forte perspectiva ideológica favorável ao sul do país, nos permitirá apreender traços da formação do imaginário norte-americano, sobretudo da grande disputa entre as duas regiões que configurou os Estados Unidos como um país moderno; o autor foi muito criticado por sua simpatia pelo sul e pela origem da Ku Klux Khan. A violência extrema atingindo a população rica branca adquire tons épicos neste filme. Mais adiante Griffith fará outro filme emblemático, Intolerância, quando tentará responder às críticas recebidas que seu mais famoso filme recebeu, referenciado aqui como um contraponto à obra principal, mas não posto como objeto da comunicação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

ANTONIO DA SILVA CAMARA, UFBA

Pós-doutoramento no CNRS/Universidade Toulouse le Mirail (França) em 2000. Doutorado em Sociologia. Université Paris Diderot, PARIS 7, França. Mestrado em Sociologia. Université Paris Diderot, PARIS 7, França. Mestrado em Sociologia. Universidade de Brasília, UnB, Brasil. Professor Adjunto DE em exercício. Integrante do Núcleo de Estudos Ambientais e Rurais (NUCLEAR). Integrante do grupo de estudos Representações Sociais - Arte, Ciência e Ideologia.

Gabriela Protasio Mota, UFBA

Mestre em Ciências Sociais pelo PPGCS/UFBA e graduada em Ciências Sociais pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia. Membro do grupo de pesquisa Representações Sociais: arte, ciência e ideologia, instalado no NUCLEARTE (Núcleo de Estudos em Sociologia da Arte), sediado na FFCH / UFBA.

Caique Geovane Oliveira de Carvalho, UFBA

Mestrado em andamento em Ciências Sociais Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS) da UFBA - Brasil.

Referências

ADORNO, T. W. Teoria Estética. Lisboa: Edições 70, 2008.

ADORNO, T. W. HORKHEIMER, Max. Dialética do Esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1985.

AUMONT. Jacques; MARIE, Michel. A Análise do Filme. Lisboa: Edições Texto & Grafia, 2009.

ANDREW, J. Dudley. As principais Teorias do Cinema. Rio de Janeiro: JorgeZahar, 1989.

BENJAMIN, W. Obras Escolhidas. Volume I. Magia e Técnica, Arte e Política. São Paulo: Editora Brasiliense. 1996.

DEFLEUR, Melvin L. Teorias da Comunicação de Massa. Rio de Janeiro: JorgeZahar Ed., 1993.

EISENSTEIN, Serguei. A forma do filme. Jorge Zahar. Rio de Janeiro, 2002. INTOLERÂNCIA. Direção: D. W. Griffith, 1916. Estados Unidos. Titulo original:

Intolerance: Love's Struggle Throughout the Ages.

JAMESON, Frédéric. As Marcas do Visível. São Paulo: Graal,1995.

LUKACS, Georg. Estética 1. Volumem 4. Instrumentos. Barcelona: Grijalbo, 1982. MARTIN, Marcel. A linguagem Cinematográfica. São Paulo: Editora Brasiliense, ,2013. MARZAL, José Javier. David Wark Griffith. Madrid: Catedra,1988.

O NASCIMENTO de uma nação. Direção: David W. Griffith. Estados Unidos. 1915. SADOUL, Georges. Histoire du cinéma mondial. Paris: Flammarion,1999.

TROTSKI, Leon. Questões de modo de Vida. Lisboa: Edições Antidoto 1979.

XAVIER, Ismail. O Discurso Cinematográfico: A Opacidade e a Transparência.Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1984.

Downloads

Publicado

2024-04-23

Como Citar

DA SILVA CAMARA, A.; PROTASIO MOTA, G.; GEOVANE OLIVEIRA DE CARVALHO, C. O IMAGINÁRIO DE UMA NAÇÃO NO CINEMA NORTE-AMERICANO. Revista Olhares, Salvador, Brasil, v. 1, n. 13, p. 175–192, 2024. DOI: 10.63052/revistaolhares.v1i13.117. Disponível em: https://publicacoes.unijorge.edu.br/revistaolhares/article/view/117. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos