UMA POÉTICA DO TESTEMUNHO A PARTIR DA OBRA MATÉRIA DE POESIA, DE MANOEL DE BARROS

Autores

  • Davi Assunção Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS

DOI:

https://doi.org/10.63052/revistaolhares.v1i13.119

Resumo

A proposta de análise literária desenvolvida no presente artigo segue por uma perspectiva teórico-crítica, na qual apropria-se do objeto de pesquisa de forma a percebê-lo e reconstruí-lo como material artístico. Deste modo, acolhe-se a escrita de Manoel de Barros (Cuiabá, MT, 1916 – Campo Grande, MS, 2014), em sua obra intitulada Matéria de poesia (2019), a fim de desenvolver uma discussão a respeito da noção de testemunho, pensado aqui sobre uma perspectiva poética. Ao caracterizar inicialmente um conjunto de coisas e seres, considerados desimportante, como matéria-prima para a sua poesia, Barros acaba por elaborar uma sequência de narrativas poéticas criadas a partir destas formas fragmentadas, destes rastros (Gagnebin, 2009), fazendo da sua escrita um espaço seja de afirmação da memória no seu aspecto inventivo, seja de possibilidade para dar voz e sentido a estas formas quase que inexistentes. Para tanto, o conceito de pós-memória, desenvolvido por Beatriz Sarlo (2007), a proposta de um “trabalho arqueológico”, pensada por Georges Didi-Huberman (2017), além da abordagem acerca do “narrador sucateiro”, como escreve Jeanne Marie Gagnebin (2009) tornam-se caminhos importantes para o desdobramento deste trabalho.

Palavras-chave: Manoel de Barros; Matéria de poesia; Memória; Testemunho; Rastros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Davi Assunção, Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS

Mestrando pela Pós-Graduação em Estudos Literários - Universidade Estadual de Feira de Santana – UEFS (CAPES). Licenciado em Letras Pelo Centro Universitário Jorge Amado - E-mail: david.assuncao.2016@gmail.com

Referências

BARROS, Manoel de. Matéria de poesia. 1a ed. Rio de. Janeiro. Alfaguara, 2019.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Cascas. trad. André Telles, São Paulo, Ed. 34, 2017.

GAGNEBIN, Jeanne Marie. Lembrar escrever esquecer. 2. ed. São Paulo: Editora 34 Ltda., 2009.

SARLO, Beatriz. “Pós-memória, reconstituições”. In: Tempo Passado: cultura da memória e guinada subjetiva. Tradução Rosa Freire d'Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras/Belo Horizonte: UFMG, 2007, p. 90-113.

Downloads

Publicado

2024-04-23

Como Citar

ASSUNÇÃO, D. UMA POÉTICA DO TESTEMUNHO A PARTIR DA OBRA MATÉRIA DE POESIA, DE MANOEL DE BARROS. Revista Olhares, Salvador, Brasil, v. 1, n. 13, p. 63–79, 2024. DOI: 10.63052/revistaolhares.v1i13.119. Disponível em: https://publicacoes.unijorge.edu.br/revistaolhares/article/view/119. Acesso em: 18 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos