NOTAS SOBRE A FILOSOFIA DO TRÁGICO

SCHILLER E CAMUS

Autores

  • Moisés Oliveira Alves Universidade Estadual de Feira de Santana

Palavras-chave:

teorias do drama, trágico, liberdade, consciência, filosofia

Resumo

O artigo apresenta duas noções da filosofia do trágico (liberdade e consciência), propostas pelos artistas-pensadores Friedrich Schiller e Albert Camus. Os dois dramaturgos escreveram longos ensaios para pensar o trágico como uma proposição estética, um modo de vida e uma hermenêutica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Moisés Oliveira Alves, Universidade Estadual de Feira de Santana

Professor Adjunto do Departamento de Letras e Artes da Universidade Estadual de Feira de Santana. Atua nos cursos de graduação em Letras e no Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários-PROGEL/UEFS.

Referências

CAMUS, Albert. O mito de Sísifo. Record, 2006.

GOETHE, Johann Wolfgang Von. Fausto. Trad. Jenny Klabin Segall. São Paulo: Editora 34, Edição bilíngüe, 2004.

MÜLLER, Heiner. Horácio. In: _______. O espanto no teatro. Trad. Ingrid Goudela. Perspectiva, 2003.

SCHELLING. Cartas sobre dogmatismo e criticismo. In: SZONDI, Peter. Ensaio sobre o trágico. Trad. Pedro Süssekind. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004, p. 29.

SCHILLER, Friedrich. Teoria da tragédia. São Paulo: Herder, 1964.

SÓFOCLES. Antígona. Tradução: Mário da Gama Kury. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, v 1, 2009.

SZONDI, Peter. Ensaio sobre o trágico. Trad. Pedro Süssekind. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

Downloads

Publicado

2022-06-05

Como Citar

ALVES, M. O. NOTAS SOBRE A FILOSOFIA DO TRÁGICO: SCHILLER E CAMUS. Revista Olhares, Salvador, Brasil, v. 1, n. 12, p. 137–146, 2022. Disponível em: https://publicacoes.unijorge.edu.br/revistaolhares/article/view/13. Acesso em: 21 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos